Folha Ubajarense » A Promiscuidade das Frutas, por Adrovando Tomaz
Entrevistas e Homenagens

Confira as entrevistas concedidas ao Jornal Folha Ubajarense. Em breve a sessão Homenagem Póstuma estará disponível

Ibiapaba online

Notícias da Ibiapaba:Viçosa do Ceará, Tianguá, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Guaraciaba do Norte e Carnaubal

Polícia

O interior do Estado do Ceará não é mais o mesmo. Violência, criminalidade e acidentes no trânsito fazem parte da rotina

Ubajaridade

A essência de ser ubajarense permanece arraigada nos habitantes dessa cidade pacata e de clima agradável

ümor

Artigos, Crônicas, Piadas. Tudo aquilo que você não precisa saber para viver com dignidade e qualidade de vida está aqui

الرئيسة » Opinião

A Promiscuidade das Frutas, por Adrovando Tomaz

أرسلت بواسطة Monique Gomes في segunda-feira, 18 abril 20112 تعليقات

Me permiti apurar certos codinomes que tem uma singela relação com as frutas e olha que a promiscuidade é soberanamente natural. A necessidade de realizar grandes feitos sem ter que dispor de esforços para tais fins é submetida a tratamentos meramente furtivos e que entra numa ascendência imoral sem retorno. Esta subida se inicia com a  bajulação e vai seguindo instintivamente na intimidade ate deparar-se com o saco escrotal. Pois sim,  é verdade. Este, por se restringir a um mero coadjuvante sensual, tem sua imaculada condição violada e fica a mercê de puxões e afagos depreciativos, impróprio de sua vontade e reluta insistentemente  em não aceitar certos mimos, pois a verdade seja dita:”dificilmente alguém gosta de babões, chupa-ovo”, etc… até tolera, quando é necessário aos seus propósitos.I

Há sem duvida em nossa cidade homens frutas que depravam o sentido moral da hombridade, honestidade e da decência. Promovem apodrecimento da ética e da moral, com seus relacionamentos promiscuo de interesses particulares  onde defende com unhas e dentes o seu chefe  que esta sempre com o ovo babado. Como uma fruta  bichada, eles se esmeram por entre as paredes sujas do submundo do crime e dão vazão as suas peripécias como se fossem  um ato de grandeza e heroísmo. Sobejam as percentagens mesmo sabendo que os chefões que estão por trás os tratam como meros capachos insignificativos, pois do grosso, somente o bagaço da laranja fica com  eles.I

Penhorar a própria decência em detrimento de uma fruta ( no caso laranja), é um procedimento arriscado e vicioso que os transformam em criaturas  predispostas e sujeitas ao braço cansado da lei. As responsabilidades procuram seus donos e os fazem reféns de seus desejos mais básico e, depois os submetem rotineiramente ao julgamento popular. Se acham que a justiça nos os alcançam, porém o povo, comum,  provido de suas acusações e desconfianças, os chamam de “laranjas”. Atolam  a imagem já ofuscada na lama e rogam  a esses homens- frutas, pesados adjetivos que os desqualificam mais ainda.I

Esses seres amarelados (alaranjados) se enraízam no poder, enxergam no óbvio, lugares férteis para uma boa colheita, como os gabinetes, setores de licitação e nota fiscal; secretarias de obras e secretarias encarregadas de compras para merenda escolar e material de manutenção e expediente hospitalares. Onde existe, pergunto a vocês, um chão tão bem preparado, adubado, de onde possam crescer laranjas tão bem afeiçoadas?  Os homens-laranjas, não são lá aquelas frutas gostosas como as mulheres melancia, pêra, morango, maçã, etc. mas fazem um estrago em qualquer finanças do município, principalmente porque esconde os verdadeiros senhores feudais, donos dos laranjais, que agem na sombra desses imprudentes e gananciosos homens-laranjas, os quais se tornam  responsáveis e autores dessa farra do boi que foi implementado nesse governo municipal desde o nepotismo a corrupção desenfreada como nunca jamais visto, por bem dizer, nem nos tempos idos que não imperava a lei de responsabilidade fiscal.I

Da pra imaginar as especiarias que se pode criar com tantas frutas. A diversidade parece não preocupar aqueles alaranjados de carteirinha, com certeza  eles não estão preocupados com a insatisfação popular que os julgam um ser omisso, submisso, delinqüente, desonesto, corruptor, corruptível ao ser pré-nomeado de  homem- laranja.I  

Da pra fazer uma composição minuciosa de um homem-laranja? Bem, isso não é lá muito racional, pois nem as mulheres frutas, que relacionam umas partes do corpo com o formato e o sabor das frutas lhes aparentam tamanha similaridade. A  eles. No entanto,  são totalmente inerentes à pessoa, não dispõem de fundamentações corporais e sim, de desvio de conduta. Portanto, vamos tentar encontrar afinidades entre a laranja e o bagaço, pois este é o que sobra para gente que comunga com tais atividades.I

 Pressupõe que o homem-laranja  tenha surgido de uma pequena muda de planta infectada por pulgões, mosca branca e insetos chupadores ( daí o nome de baba ovo). Teve pouco cuidado no manejo e na sazonalidade das chuvas, o qual foi obrigado a adaptar-se as novas necessidades, por essa razão é que também são sazonais, quer dizer: de pleito a pleito, de administração a administração. Ao desenvolver-se e ficar amarelada ( isto é, alaranjada) são inseridas no mundo político com um ingrediente a mais, ou melhor um sabor a mais para adocicar as contas bancarias dos algozes da administração publica. E assim com se diz, chupa-se de tudo um pouco, da laranja ate o saco e deixa o bagaço com o DNA para o homem-laranja.I

Seria hilário se existisse uma concorrência de homens frutas, por exemplo; o homen-laranja iria dizer que o homem-tangerina não poderia participar daquela licitação por que seu cheiro seria descoberto com facilidade. Da mesma forma e um tanto pior  o homem-jaca  seria desestimulado a não participar de nenhuma concorrência, pois além do cheiro, notas frias e malversação de dinheiro publico estariam colados em suas mãos e bocas por causa do leite.I

 Na verdade esse conceito não é muito atípico de quando se refere ao codinome homem-laranja, é perfeitamente percebível que essa fruta, deliciosa, de propriedades terapêuticas não retrata deficiências que possam prejudicar o homem, portanto esse homem que se intitula laranja, poderia ser chamado de: homem-cupim, homem-sorondongo e quem sabe ate de homem-bomba, a destruição seria  imediata e não teríamos que presenciar essas falcatruas, fraudes, bandaleira, desfaçatez, etc., como se fosse um negocio honesto e que não compromete o bom funcionamento das instituições.I

.

 

A promiscuidade das frutas, por Adrovando Tomaz Cavalcante, empresário.

2 تعليقات »

  • Anderson said:

    É uma pena que os próprios homens-laranjas da nossa cidade, aqueles que estão emprestando o nome, a sua honra(que honra, há talvez de um rato) o seu espírito, não poderão ler esse artigo, pois além de serem paus mandado, são totalmente analfabetos e ficam somente conforme foi falado com o bagaço do “apuro”. Mas é disso que os grandes querem que sejam burros e que emprestem o nome para que se possa desviar o dinheiro que vem para as obras e até mesmo para a merenda escolar, ou manutenção dos veículos da garagem. O que eu acho mais interessante é que todos sabem quem são os laranjas, aqueles velhos e velhos laranjas babões, carniças, chupa-ovos, que ficam ali aos domingos se fazendo de santo, ferrando a comida de um ou de outro colega que está tomando umas com o seu tira-gosto, mas no fundo é um tremendo de um larapio, recebem seus salários mais não trabalham de jeito nenhum, vivem andando pela rua, enchendo lingüiça lá no trabalho de outras pessoas. Um doce para quem adivinhar quem é o velho babão que só sabe puxar o saco .

  • Vando said:

    Que pena que só os competentes compreendem esse texto. Puxa saco é sinônimo de incopetência, logo nâo compreendem essa mensagem!

FAZER UM COMENTÁRIO

Participe. Deixe seu comentário aqui