Folha Ubajarense » Entrevista: Joaquim Lobo de Macedo
Entrevistas e Homenagens

Confira as entrevistas concedidas ao Jornal Folha Ubajarense. Em breve a sessão Homenagem Póstuma estará disponível

Ibiapaba online

Notícias da Ibiapaba:Viçosa do Ceará, Tianguá, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Guaraciaba do Norte e Carnaubal

Polícia

O interior do Estado do Ceará não é mais o mesmo. Violência, criminalidade e acidentes no trânsito fazem parte da rotina

Ubajaridade

A essência de ser ubajarense permanece arraigada nos habitantes dessa cidade pacata e de clima agradável

ümor

Artigos, Crônicas, Piadas. Tudo aquilo que você não precisa saber para viver com dignidade e qualidade de vida está aqui

الرئيسة » Entrevistas e Homenagens

Entrevista: Joaquim Lobo de Macedo

أرسلت بواسطة Monique Gomes في sexta-feira, 1 julho 201119 تعليقات
Joaquim Lobo de Macedo, 72 anos, trabalhou como bancário durante 30 anos na agência do Banco do Brasil, exerceu cargo de vereador por dois mandatos e Prefeito de Ubajara no período de 2001 a 2004. Sua gestão foi marcada pela quitação de débitos da gestão anterior no valor aproximado de R$ 5 milhões de reais. Casado com Maria Elenir Alves de Macedo, tiveram 6 filhos.I

.

FOLHA – Macedo, de que maneira aconteceu sua vinda a Ubajara?I

MACEDO – Sou natural de Lavras da Mangabeira, região do Cariri. Nasci e me criei em fazenda. Lá, a temperatura é muito quente. A coisa que mais me orgulha é o fato de meu pai ser agricultor, é uma tradição da família. Éramos agropecuaristas e tínhamos uma vida muito saudável, mas de muita luta. Éramos dez irmãos. Eu tive que estudar muito para poder superar as dificuldades da vida no campo. Estudei no Colégio Diocesano do Crato. Logo que terminei o ensino médio surgiu o concurso para o Banco do Brasil e eu me inscrevi. Eu era estagiário na agência bancária do Ipu e quando inaugurou a agência em Ubajara eu vim para cá. Quando cheguei aqui, me encantei com um lugar aconchegante, frio, gostoso e pensei com meus botões: nunca mais vou sair daqui, vou morrer por aqui. As coisas que eu planejei foram dando certo e logo fiz muita amizade.I

FOLHA – O senhor é conhecido pelo dom da oratória. Fez algum curso específico nessa área?I

MACEDO – Não, eu nunca fiz curso específico. Eu gosto muito de ler, sempre fui interessado em aprender alguma coisa. No Banco do Brasil eu fiz um curso de redação. Fui várias vezes a Brasília fazer cursos do banco. Nós éramos nove funcionários e eu fui escolhido pelo gerente, Dr. Hamilcar de Sousa Magalhães, para exercer o cargo de investigador de cadastro. Ele é marido da Dona Iza Pereira, da família do Domício, pessoas que estimo muito. Então a minha missão no banco era investigar se aquela pessoa era merecedora de crédito. Eu colhia informações, entrevistava pessoas conhecidas do cliente. Depois desse apanhado era feita a ficha cadastral com um breve relatório dessas entrevistas.I

FOLHA -Como aconteceu o seu despertar para o mundo da política?I

MACEDO – O povo é sábio, é inteligente. Eu tinha um amigo muito conhecido, Oscar de Oliveira Magalhães, que é nome da Escola construída no meu governo. Ele era secretário da Prefeitura. Major Pergentino Ferreira da Costa era o Prefeito. Eu sempre me encontrava com Oscar Magalhães e um belo dia ele disse: “Macedo, você tem tudo para ser um político”, então o compadre Chico Pinto, outro que foi prefeito de Ubajara, pegava uma cestinha de vime – naquela época não se usava sacola plástica – e colhia duas sacolas de laranjas. Uma ele me dava, e aquilo me cativou. Ele dizia: “Rapaz, você conhece todo mundo, no banco só tem uma pessoa mais importante que você: o gerente”. Mas eu não queria fazer nada até concluir meus 30 anos de banco e me aposentar. Então, logo que deixei o banco meus colegas fizeram uma despedida em Fortaleza. Quando voltei para Ubajara faltava apenas alguns meses para a eleição. Compadre Chico Pinto me arrumou uma vaca, Oscar Magalhães me deu um pedacinho de terra e Domício me ajudava com a ração da vaca. Não faltava leite e minha esposa sempre foi muito dedicada aos filhos.I

FOLHA – Então a própria sociedade influenciou na sua decisão.I

MACEDO – Sim. Domício Pereira, João Ribeiro Lima e Monsenhor Tarcísio, pessoas muito inteligentes, sempre iam me visitar e nós conversávamos muito sobre o futuro político de Ubajara. Eu ouvia muito os conselhos do Domício e saí candidato a vereador pelo PFL. Ele era o Presidente do Partido naquela época e durante meu segundo mandato, procurei buscar independência na formação de um outro partido, mas ele me convenceu a assumir a Presidência do PFL. Não me isolei do povo, porque o mal do político é se isolar. Saía na feira para fazer compras, a carne, o arroz, a verdura, e sempre conversava com o povo. As pessoas demonstravam muito afeto por mim, mas outras diziam que eu era vereador de um mandato só. Daí surgiu o comentário que eu era muito seguro e os adversários se aproveitavam. Mas eu fui reeleito com uma quantidade expressiva de votos. Nessa época, o prefeito estava fazendo uma administração desastrosa. Estava devendo muito, atrasou o funcionalismo, se escondia do povo. Até que um dia, em reunião com Domício, Joãozinho e Monsenhor Tarcísio, Domício falou: “Macedo, nós estamos arrasados vendo nossa terral natal desabar com o funcionalismo atrasado, prédios públicos destruídos. Nós estamos preocupados e procurando um bom samaritano, uma pessoa digna, que não roube, para transformar essa realidade”. Nas ruas, já havia uma cobrança do povo: “E aí, vai ou não vai ser candidato?”.I

FOLHA – Como foi a experiência no Legislativo?I

MACEDO – Eu estava do lado do prefeito por causa da conjuntura política, até que um dia eu dei um soco na mesa e disse que não o apoiaria mais, pois a cidade estava sucateada. O Paulo Gabriel foi um dos que me deu apoio. Então, naturalmente foi nascendo o Grupo Macedo. Tinha 5 vereadores comigo. Nessa época eu fui a Fortaleza fazer a denúncia sobre o atraso de sete meses no pagamento dos servidores públicos na Procuradoria Geral da Justiça. A audiência que houve no fórum para analisar a denúncia foi muito demorada. Surgiu a notícia que o Macedo denunciou o prefeito. Eu comecei a ser visto como uma pessoa destemida. Muitos ficaram contra mim e disseram que eu jamais seria eleito para nada, no entanto eu fui eleito prefeito.I

 FOLHA – Como foi administrar uma cidade como Ubajara?I

MACEDO – Nós não somos o que pensamos que somos. Alguns me chamam de miserável, de seguro, mas com certeza essa minha passagem por aqui de não andar esbanjando, dá aqueles que não gostam de mim a possibilidade de criticar. Eu fiz uma administração muito austera. Faltou alguém que me orientasse. Eu tinha medo de cair na malha fina, mas trabalhava com lisura. Em várias situações as pessoas me diziam: ‘mas todo prefeito faz isso’ e eu respondia que sou exceção a essa regra, por isso eu tenho orgulho de mostrar a minha prestação de contas aprovada.  Desisti de disputar a reeleição por falta de experiência na política. Eu fiz uma grande administração, mas o povo não me aceitou de volta. Nós tivemos uma fiscalização da CGU, uma equipe de 18 pessoas sentou no gabinete e analisou todos os documentos da Prefeitura. Dias depois um deles disse: “Nós já fiscalizamos 82 Prefeituras, vamos emitir o relatório que será entregue ao senhor na segunda-feira, mas quero lhe dar os parabéns porque a sua Prefeitura está em situação muito boa”. Algumas irregularidades foram sanadas, como o recolhimento do INSS que a Prefeitura não efetuava integralmente.I

 FOLHA – O senhor investiu em publicidade? Eu lembro de ter enviado uma proposta para a elaboração do jornal da Prefeitura na sua gestão, porque eu sempre fui apaixonada por jornal.I

MACEDO – Não, não tinha divulgação. Foi um erro. Olha, o Serra fez uma administração exemplar no país. Entre os projetos que se destacaram foi o combate à poliomielite, ele criou um projeto que o prefeito que obtivesse a cobertura vacinal superior a 80% receberia um prêmio em São Paulo. Nós mobilizamos a equipe de saúde e atingimos a meta de quase 90%. Fui a São Paulo receber o prêmio, quando cheguei a Ubajara, guardei o troféu na prateleira e muita gente nem ficou sabendo que Ubajara alcançou esse mérito.I

 FOLHA – Quais foram as principais realizações na sua gestão?I

MACEDO – A princípio nós colocamos em dia o pagamento dos funcionários, com cartão magnético do Banco do Brasil. Pagamos ainda uma dívida do Prefeito anterior de aproximadamente R$ 5 milhões de reais com FGTS, INSS, COELCE, CAGECE e TELEMAR. Regularizamos a situação da Prefeitura junto aos órgãos emitentes de Certidões de Regularidade Fiscal, Regularizamos toda a documentação dos veículos que estavam pendentes, adquirimos 12 veículos novos, 02 ônibus, 01 caminhão para o transporte de carne e 4 ambulâncias. Reformamos o Hospital Municipal e construímos o Centro Cirúrgico. Reformamos e ampliamos 58 escolas, com a construção de 75 salas de aula. Todas as Secretarias Municipais foram revitalizadas e ampliadas. Construímos 630 kits sanitários para as comunidades, 60 casas populares no Bairro Sebastião Gomes Parente, 5 passagens molhadas, a Casa da Cidadania. Implantamos um financiamento de motos e computadores para os funcionários em parceria com o Banco do Nordeste e a Honda. Criamos e instalamos o Conselho Tutelar em Ubajara. Na área da Ação Social realizamos muitos benefícios para a população carente.I

 FOLHA – O senhor pretende se candidatar novamente para Prefeito?I

MACEDO – Ainda é cedo para falar sobre isso, porém, se Deus quiser e as pesquisas forem favoráveis, há possibilidade.I

19 تعليقات »

  • pedro said:

    o sr entrevistado qdo prefeito disse que a prefeitura estava quebrada no fundo do poço e poprque quer vaoltar , deiche para os oputros ele tem improbidade administativa veja o relatpriodo tcpqe o filho foi impugnado a canditatura nao ode tomar posse se eleito sera que le e ficha limpa. ele nao temfielidade com o partido pois eh do PTB e votou em canditaos diferente para deputados m

  • celia said:

    Realmente o nosso grande amigo Macedo, tornou_se um Ubajarense,nao só por adotar Ubajara como a sua terra, mas tambem pela amizade que êle e sua querida Lenir sempre devotaram aos seus habitantes. Embora eu desde muito cedo saí para estudar, sempre meus pais comentavam das visitas que recebiam do casal. Eles sempre estavam disponíveis para prestar algum favor

  • amarildo bezerra said:

    desde q conheço administracoes da prefeitura de ubajara foi o melhor para o municipio e estarei com ele de novo seguindo os passos do saudoso joao ribeiro lima

  • Alexandre said:

    Bela matéria Monique. Aqui fica somente o registro de um admirador, ao brilhante carisma do Sr. Macêdo por totrabalho desempenhado em Ubajara. Quem convive de perto sabe de seus potenciais e sonhos de dias melhores para nossa cidade. Abraços ao Sr. Macedo, à sua esposa Elení, aquem tenho carinho e admiração e aos leitores e colaboradores da folha ubajarense. Hoje grande meio de interação social.

  • Pedro Henrique said:

    Interessante observar que, quando seu Macedo era prefeito eu mesmo era um dos que muito o criticava, mas hoje consigo enxergar face a esta atual administração, qu é tão obscura na prestação de contas que desperta desconfiança até mesmo da CGU, que o seu Macedo sem dúvida foi o melhor administrador que Ubajara já teve. Claro que sua administração teve suas falhas, mas foi marcada pela transparência e automia de governo, que em nenhum momento esteve submisso ao interesse de terceiros, mas sim ao interesse coletivo.

    Comparo seu Macedo ao Fernando Henrique Cardoso, que pegou o Brasil atolado em escândalos e dívidas, mas chegou para organizar a casa e deixar o mínimo de condições de governabilidade ao seu sucessor (no caso, Lula). Mas em ambos os casos notamos a falta de reconhecimento e gratidão para com estes dois grandes políticos.

    Seu Macedo não concorreu à reeleição porque não teve a malícia dos políticos “profissionais”, mas espero que surja em 2012 como uma alternativa às poucas opções em que se falam neste momento.

  • mardonio said:

    acompanhbei toda adimistração do sr. macedo aqui de fortaleza, e consedero umas das melhores adiministraçães, um bom prefeito não é aquele que sai dando uma carrada de pedra pra um, um saco de simento pra outro, um bom prefeito tem que trabalhar pelo coletivo.
    uma vez idaguei a um amigo como tava a admistração do sr. macedo o mesmo disse”não tá boa não ele é muito miseravel” discordei.
    PARABENS SR. MACEDO UBAJARA LHE ESPERA NA PROCIMA ELEIÇÃO
    FORTALEZA 5 DE JULHO DE 2011

  • Evertom said:

    Saudades dos tempos em o senhor Macêdo adiministrava a cidade de Ubajara porque hoje a cidade naõ esta com nada oa prefeitura e um e uma vergonha só colocam vagabundos para trabalhar duvido que coloquem um pai de família resumindo so entra na prefeitura quem é da mesma laia deles!!!A alguns anos atras sofri um acidente buma obra da Prefeitura mal sinalizada fui falar com o prefeito “Ari Filho” ele me prometeu uma protese que custaria em torno de 500 a 800 reais quando fui saber o valor naõ passava dos 80 reais KKKKK isso é uma palhaçada naõ adiministraçaõ fuleragem !!!!

  • Evertom said:

    Ah por favor descupem os erros de ortografia tá vlw !!!

  • Informativo said:

    Eu também me lembro da administração do Sr. Macedo, foi regular. Lembro-me de algumas coisinhas que não agradaram a alguns, principalmente funcionários e terceirizados, mas ele coseguiu reverter. No geral não foi um mau prefeito, fez o que se esperta de um político. Mas não gostaria de ve-lo novamente na prefeitura, assim como não queria mais ver ninguém da família do prefeito Ari nem do seu grupo. Chega, Ubajara precisa de inovação, de alguém com a mente jovem e que não tenha rabo preso com ninguém, principalmente com o coronel Domicio Pereira, que é um atraso para Ubajara, pois não permite que outras empresas se instalem aqui, para não tomar os empregados (mão de obras escrava)de suas empresas.

  • veronica said:

    É preciso renovar o quadro político de Ubajara. Encontrar novas cabeças pensantes e conscientes do dever com as próximas gerações. É preciso abrir este mesmo espaço para jovens empresários, administradores, viajados (com conhecimento sobre o turismo o que podemos tirar dele sem agredir o meio ambiente). Ubajara necessita de pessoas dinâmicas e destemidas à frente da admnistração. A política deve ser totalmente renovada. O Sr. Macedo me lembra em alguma coisa o Senador José Sarney… Será que estou anganada??

  • pedro said:

    parabens veronica voce agora disse tudo so tem um detalhe quem poderia ser pois o povo tem o politico que merece. quando alguem se candidata com proposirto diferente, o eleitorado famigerado se vende por dez cinquenta e ate mais que pena mais um dia mudaremos

  • veronica said:

    Obrigada, Pedro!.
    Monique, pq a gente escreve de trás pra frente nesse negócio?? Num tá “bugado” não?? Estranho – eu fico perturbada com esse negócio…kkkkk
    – Pedro, às vezes o melhor candidato pode ser o mais humilde (da base mesmo) porque ele conhece a necessidade dos locais. Mas ele precisa ser bem assessorado. Uma questão difícil de equilibrar. Primeiro, pq quase ninguém tem interesse nisso. Segundo, pq a informação mais acessível muitas vezes é incompleta, mesmo com toda o empenho da “Folha Ubajarense”. Mas que bom seria se as escolas em Ubajara (ou todas) implantassem a disciplina de ciência política que pudesse preparar os jovens para o futuro!! Imagine vereadores cheios de energia e vitalidade (e honestos!!), pensando a cidade para os próximos 10, 15 ou 20 anos?? O futuro seria bem diferente se hoje começássemos a preparar (como no futebol com as suas escolinhas de bases) nossos políticos de amanhã . Teríamos os futuros candidatos a prefeito de Uba – sem os vícios e malandragens que temos visto ao longo desses anos. Utópico? Será??

    ?

  • pedro said:

    VERONICA A GORA VC DISSE TUDO PARABENS TO CONTIGO VAMOS PARA FRENTE QUE UM DIA CHEAGREMOS LA E A POPULAÇÃPO VAI ENTENDER O NOSSO PENSAMENTO

  • Monique Gomes (author) said:

    Opa, Verônica, desculpa aí a demora pra te responder, eu tava concentrada em fechar a edição do jornal. Existe um erro no script, na parte que os leitores usam para digitar os comentários, eu já tentei corrigir mas não tive sucesso, então eu recomendo que vocês façam da seguinte forma: redijam o comentário no bloco de notas do seu computador, depois é só copiar e colar na área dos comentários do jornal, preencher o campo do e-mail e clicar no botão pra enviar, ok

  • miguel ribeiro said:

    TODO APOIO SERA DADO AO CANDIDATO MACEDO

  • pedro said:

    miguel fique preocupado pois o canidato do macedo ja era rsrsr tem que ser genmte nova

  • paulo said:

    Gostaria apenas de saber porque a editora deste jornal on line nao tem coragem de realizar, pois, pelo que me consta ele tem feito uma excelente administraçao com dinamismo e inovaçoes prova desta sua boa administraçao e o fato dele haver sido reeleito pela populaçao de ubajara,valeu prefeito parabens por todas as conquistas.
    visto que ele ja esta em seu segundo pleito uma entrevista com o sr . prefeito atual da cidade se vai criticar aceite tambem opinioes contrarias assim funciona aboa democracia. e

  • Monique Gomes (author) said:

    Deus tem cada morador…p

  • Patriciane Rodrigues Fernandes said:

    Revendo algumas noticias na folha ubajarense vie uma entrevista do senhor mmacedo e nâo pude deixar de comentar. sou natural de ubajara e vie sua administraçao de perto e nao poderia deixar de lhe parabenisar pelo seu trabalho como prefeito, pois cuidou da nossa ubajara com muito amor e dedicaçao e lhe digo com toda certeza de que todos os ubajarenses lhe amam e lhe adimiram pelo o grande amigo que vc é por nao visitar os amigos só no tempo de politica, mais por esta com todo o povo senpre.Gostari DE LENBRAR AO SENHOR QUE AS ELEIÇOE SE APROXIMAM E QUE É VC QUE UBAJARA QUER COMO PREFEITO peço muito a Deus que esse sonho se realize, pois tenha certeza de que estarei aplaudindo o seu sucesso.

    PATRICIANE RODRIGIUES

FAZER UM COMENTÁRIO

Participe. Deixe seu comentário aqui