Folha Ubajarense » Só um texto, por Kleber Rocha
Entrevistas e Homenagens

Confira as entrevistas concedidas ao Jornal Folha Ubajarense. Em breve a sessão Homenagem Póstuma estará disponível

Ibiapaba online

Notícias da Ibiapaba:Viçosa do Ceará, Tianguá, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Guaraciaba do Norte e Carnaubal

Polícia

O interior do Estado do Ceará não é mais o mesmo. Violência, criminalidade e acidentes no trânsito fazem parte da rotina

Ubajaridade

A essência de ser ubajarense permanece arraigada nos habitantes dessa cidade pacata e de clima agradável

ümor

Artigos, Crônicas, Piadas. Tudo aquilo que você não precisa saber para viver com dignidade e qualidade de vida está aqui

الرئيسة » Opinião

Só um texto, por Kleber Rocha

أرسلت بواسطة Monique Gomes في quinta-feira, 7 julho 20117 تعليقات

Eu esqueci que deveria ter pago umas contas ontem, já está quase terminando o dia, hoje, novamente e ainda não paguei de novo. Pensei que iria dar tempo de ir ao mercantil comprar umas coisas. Não me lembrei também ontem, ao passar pela farmácia, que tinha planejado comprar algum remédio pra dor de cabeça. Fico pensando sempre, que dentro da minha família as pessoas têm arteriosclerose, tento entender como serei daqui a alguns anos, pensando também que eles os meus avós viveram muito, alguns morreram com cento e tantos anos, imagino se eu irei lembrar que estou esquecendo.I

Sou muito desatento, não lembro os nomes das pessoas. Fico impressionado o quanto de pessoas eu conheço e não sei o que dizer quando as encontro… João quando era o Raimundo, a Aline quando a Hilda. Alguém, outro dia, disse que isso é parecido com não lembrar de ligar sempre para as pessoas que gosto ou só ligar quando preciso delas. Não concordei, claro, acho que tenho o poder de mudar, já lembro o nome da minha filha e de algumas pessoas queridas, é uma evolução.II

Bem, para isso, digo, por essa evolução, tenho que me cuidar, tenho que ter energia pra me cuidar, além de mim, existem pessoas que gostam de mim, minha filha, minha mãe… não fumar, beber pouco, comer bem… é!… já lembro bem o nome delas. Dessa forma estou inventando um não-esquecedor.  Vou me lembrar que estou vivo e me lembrando assim, não vou esquecer que vou morrer, porque tenho que fazer as coisas todas agora, ao menos as que eu puder, vou ficar com medo de não dar tempo. Mas como fazer todas as coisas agora? Como poder fazer não deixando nada de lado? Como escolher as coisas e as pessoas importantes pra olhar, lembrar e dizer pra elas que está tudo bem, perguntando:  está tudo bem?I

Já sei, vou mudar o lugar do meu umbigo, vou colocá-lo abaixo dos meus pés, vou dividi-lo para cada pé. Imagine, o meu centro agora será pra baixo. Nem vou mais pensar em mim, não tenho o meu umbigo de forma visível para me referir. Vou pensar agora só nos outros, pensando que vou morrer, que posso vir a morrer a qualquer momento, e com os umbigos na planta dos pés só existirão os outros.I  

Dessa forma, vou começar controlando as minhas estúpidas vontades sexuais, aquelas que não me deixam pensar. Portanto, lembrar de mentir o mínimo possível ou o menos agravante possível, para não ser muito agressivo. Depois, vou lembrar de sorrir e não só sorrir, de ser sério para não perder a importância das coisas; de encontrar lugar para o meu cuspe, para o lixo que a todo instante vou amontoando; não esquecer que algumas coisas são importantes pelo que elas causam como lembrança, como meu anel de formatura, que empenhei na Caixa Econômica e não fui buscar; guardar bem as minhas fotos ou se possível ter mais que me façam lembrar de coisas que já foram; não esquecer que o que eu penso é uma possibilidade das coisas, existem as outras pessoas e elas  pensam; não deixar de ligar para as pessoas amigas, dizer olá, tudo bem?!…I

 Vou lembrar e lembrando, agora me veio à mente o Meu-pé-de-goiabeira, é!… quando eu era menino, no quintal lá de casa, tinha um tal goiabeira. Eu via um filminho na televisão e lá um menino tinha um Pé-de-laranja-lima e falava com ele, então encontrei o Meu-pé-de-goiabeira. Pouco depois fui saber que o filminho era baseado em um livro, Meu Pé-de-laranja-lima. Era bom, falava com a tal árvore. Sonhava a noite que no outro dia teria que comer goiabas e conversar milhões de coisas com a minha companhia. Vou tentar sonhar com o Meu-pé-de-goiabeira pra lembrar  que  conseguirei ser de fato amigo das pessoas que gosto e amar com o cuidado que as coisas pedem.I

 

.

Só um texto – por Kleber Rocha, graduado em Letras com especialização em Estudos Clássicos pela Universidade Federal do Ceará, Professor de Literatura e Redação.I

7 تعليقات »

  • Vigevando said:

    Olá διδάσκαλος Kleber! Belíssimo texto… Saudades das aulas de grego!!! rsrs

  • Alex Cunha said:

    excelente texto professor bem ao seu estilo!

  • IRLANE FERNANDES said:

    Parabéns pelo texto
    É bom ver professores do nosso grupo (INSF) mostrando o seu talento.

  • Igor said:

    ¬¬’
    o teclado comeu o ”r”

  • Jéssica Reis said:

    Parabéns professor, muito bom o seu texto, apesar de saber que não poderia esperar algo ruim , vindo de alguém tão culto como você.
    Adorei o texto.

  • Lílian said:

    Adorei, simpatizei com o texto….

  • flávia vieira.. said:

    como mais uma vez um texto agradável de se ler, não esperaria menos vindo de vc.só preciso amadurecer um pouco minha mente para poder desfrutar com mais clareza os seus textos, não q eles não sejam bons e sim pq ainda não estou ao alcance de compreender tamanha obra…parabéns professor continue mostrando seu talento.

FAZER UM COMENTÁRIO

Participe. Deixe seu comentário aqui