Folha Ubajarense » Retalhos da MPB – Um sentido em nossa vida, por Adrovando Cavalcante
Entrevistas e Homenagens

Confira as entrevistas concedidas ao Jornal Folha Ubajarense. Em breve a sessão Homenagem Póstuma estará disponível

Ibiapaba online

Notícias da Ibiapaba:Viçosa do Ceará, Tianguá, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Guaraciaba do Norte e Carnaubal

Polícia

O interior do Estado do Ceará não é mais o mesmo. Violência, criminalidade e acidentes no trânsito fazem parte da rotina

Ubajaridade

A essência de ser ubajarense permanece arraigada nos habitantes dessa cidade pacata e de clima agradável

ümor

Artigos, Crônicas, Piadas. Tudo aquilo que você não precisa saber para viver com dignidade e qualidade de vida está aqui

الرئيسة » Opinião

Retalhos da MPB – Um sentido em nossa vida, por Adrovando Cavalcante

أرسلت بواسطة Monique Gomes في sexta-feira, 15 julho 201115 تعليقات

I“Eu vejo o futuro repetir o passado”. Por quanto tempo esse bordão entoará como verdadeiro em nossas vidas, em nossa sociedade. Arrebata-nos a esperança de dias melhores e nos deixa reféns dessa política corrupta e dos seus cooperados.  É tão nítida essa realidade que muitos tratam como um desvio de conduta moral normal, tão necessário ao corriqueiro andamento das administrações públicas. Percebe-se que os malfeitores se regozijam e em bandos comemoram num vai e vem frenético sem um mínimo de pudor pelas ruas e bares das cidades. Todos se sentem limpos, não sei se acreditam que o povo também sente a mesma coisa, mera ilusão, o que é do conhecimento de todos acabam sendo julgados por isso.I

Apesar desse bordão, a música do saudoso Cazuza nos faz refletir uma situação preocupante no tocante as repetições constantes que acontecem nas administrações públicas, principalmente no uso indevido do poder  e  na malversação do dinheiro público, ela também traz uma  compensação, e aí, a esperança  renasce e nos faz crer que, mesmo que  a justiça dos homens pouco pode fazer, porém a de Deus não falha, pois segundo o dito popular “o que é do dono a ele retorna”.I 

“A gente vai contra a corrente até não poder resistir, na volta do barco é que sente, o quanto deixou de cumprir”.  Pensando bem, essa construção de altíssimo nível literário produz em nossa consciência uma revelação intrínseca onde projeta a nossa luta do dia a dia, não importa em quais trincheiras, não importa se vamos sair vitoriosos. Entretanto a semente da esperança, de um processo democrático sadio, de homens portadores do dever de liderar  o povo com hombridade, essa semente permanece  latente, esperando o momento  oportuno  de vingar-se.  A coragem de revelar o caos preocupa a todos, no entanto poucos dão suas mãos a palmatória, preferem se sujeitar a uma saída estratégica onde ficariam isentos  de  costumeiras  retaliações, dessa maneira  promovem  barreiras  que dificultam  mudar a ordem do que  ai se encontra. Trocando em miúdos – “de certa forma se beneficiam indiretamente”.I

Voltar a realidade promove frustrações quando percebem que projetos, ora em pauta, perdem o valor e dessa forma lá na sua comodidade se justifica na defesa do seu pão de cada dia, particularmente. Então eu pergunto, porque essas pessoas que podem formar opiniões sejam elas empresários, professores, religiosos, profissionais autônomos, se calam?  Será se as razões pessoais são tão fortes que podem deixar essa nau sem um comando eficiente?  Porque não debatem a nossa cidade?  Porque não promovem simpósios para discutir políticas para melhoria da nossa cidade? Onde está a CDL, os sindicatos de trabalhadores e patronais, associações de bairros que não se preocupam com o destino da nossa querida Ubajara? O que permite refutar seu povo em detrimento de favores?  “… na volta do barco é que sente o quanto deixou de cumprir.” O que é o óbvio estampado nessa frase.  Pela estrada da nossa realização precisamos abraçar tanto os fracos como os covardes, precisamos mudar para todos não apenas para um grupo. Se contrário ou omisso, poderemos ate fugir da luta, porém nunca da nossa consciência.I

Ah!  Pra quem não sabe, essa frase é uma parte da composição Roda Viva de Chico Buarque. Chico Buarque foi um ativista e defensor do povo através de suas músicas que denunciavam um regime autoritário que assolou o pais por vários anos, foi  obrigado a deixar a terra natal. Chegamos a conclusão de que  somos  individualistas e politicamente egoístas, não estamos preocupados com a nossa sociedade, pois sempre navegamos em sentido contrário. Mudar sempre é exercitar, promove o resultado final do propósito do voto.I

I“Vem vamos embora que esperar não é saber, quem sabe faz a hora não espera acontecer.” Esse último bordão, do grande compositor Geraldo Vandré, clama o povo para marchar contra o ostracismo, a omissão, a exclusão, o comodismo, o egoísmo, o individualismo e preparar a bandeira, hasteá-la no peito como um verdadeiro ubajarense, expor suas ideias e indignações e delinear metas na construção de uma sociedade mais justa, de uma sociedade mais solidária e consequentemente uma administração mais proba, decente.I

Essa é uma maneira encontrada para protestarem pelos seus direitos, é juntar-se aqueles que também possuem ideias de mudança e desejo por um sociedade melhor. Nos também podemos cantar esse bordão, podemos adicioná-lo as nossas fraquezas e reinventar uma nova fórmula participativa onde o povo em geral se sinta representado por todos os  segmentos da sociedade,  e que a omissão prevaleça somente para efeitos ilícitos.I

De presente para o leitor um cordel de Jessier Quirino, leia com atenção e reflita:I

Comício em Beco Estreito

I“Pra se fazer um comício
Em tempo de eleição
Não carece de arrodei
Nem dinheiro muito não
Basta um F-4000
Ou qualquer mei caminhão
Entalado em beco estreito
E um bandeirado má feito
Cruzando em dez posição.I

Um locutor tabacudo
De converseiro comprido
Uns alto-falante rouco
Que espalhe o alarido
Microfone com flanela
Ou vermelha ou amarela
Conforme a cor do partido.I

Uma ganbiarra véa
Banguela no acender
Quatro faixa de bramante
Escrito qualquer dizer
Dois pistom e um taró
Pode até ficar melhor
Uma torcida pra torcer.I

Aí é subir pra riba
Meia dúzia de corrupto
Quatro babão, cinco puta
Uns oito capanga bruto
E acunhar na promessa
E a pisadinha é essa:
Três promessa por minuto.I

Anunciar a chegança
Do corruto ganhador
Pedir o “V” da vitória
Dos dedo dos eleitor
E mandar que os vira-lata
Do bojo da passeata
Traga o home no andor.I

Protegendo o monossílabo
De dedada e beliscão
A cavalo na cacunda
Chega o dono da eleição
Faz boca de fechecler
E nesse qué-ré-qué-qué
Vez por outra um foguetão.I

Com voz de vento encanado
Com os viva dos babão
É só dizer que é mentira
Sua fama de ladrão
Falar dos roubo dos home
E tá ganha a eleição.I

E terminada a campanha
Faturada a votação
Foda-se povo, pistom
Foda-se caminhão
Promessa, meta e programa…I
É só mergulhar na Brahma
E curtir a posição.I

Sendo um cabra despachudo
De politiquice quente
Batedorzão de carteira
Vigaristão competente
É só mandar pros otário
A foto num calendário
Bem família, bem decente:I

Ele, um diabo sério, honrado
Ela, uma diaba influente
Bem vestido e bem posado
Até parecendo gente
Carregando a tiracolo
Sem pose, sem protocolo
Um diabozinho inocente”.I


Retalhos da MPB – Um sentido em nossa vida
, por Adrovando Tomaz Cavalcante, empresário

15 تعليقات »

  • veronica said:

    Nem tenho mais esperança, Adrovando!

  • Informativo said:

    Eu sou seu fã!

  • Remulo Carvalho said:

    Bom dia , aprecio muito seus textos vejo que o conteudo se enquadra na grotesca politica brasileira , que ja é tradiçao a falta de etica os desrespeito aos principios moraes ea sociedade, o egoismo reina, nao so pelos politicos que estao no poder agora mas por parte da sociedade tambem, que ignora as vidas que foram perdidas por conta da nossa tao preciosa democracia , e como vc mesmo cita em seu texto,ela se esconde atras de pequenos favores.
    Mas nem tudo esta perdido, pois, ainda existem pessoas de carater, coragem, e moral , que mesmos sosinhos vao continuar lutando , nao só por um monicipio, mas por um Estado, por um pais e um pouco mais além … um mundo melhor.

  • silvio said:

    Acho você Adrovando uma pessoa muito inteligente e conhecedor dos problemas no nosso municipio, admiro também sua eloquencia e sua coragem em falar o que sente quando fala das incapacidades de alguns homens públicos da nossa cidade. Sou pessimista quanto ao futuro de Ubajara, apesar das “obras” que o nosso gestor está conseguindo fica estampado na face de todos nós que infelizmente desvios estão acontecendo e sei não temos forças para impedir tais atos. Fica o meu repudio aos vereadores que fazem oposição, apesar de serem minoria, digam o que está acontecendo aqui na nossa cidade, temos esse veiculo de informação e ainda a própria rádio . que transmite as sessões Vamos lá, façam valer os votos que vocês receberam

  • Informativo said:

    É Adrovando, depois de ler duas vezes seu texto, me dei conta de que também sou omisso, não por favor algum, pois não careço, mas por só falar e não agir. Vejo que em muitos casos, é mais fácil agir como Pôncio Pilatos lavando as mãos do que como Jesus e lavar os pés dos semelhantes .

  • Vigevando said:

    Caro Adrovando, acredito que a postura política de muitos dos governantes só vai mudar, a partir da mudança de mentalidade do cidadão, pois o político partidário saí do povo para prestar um serviço ao povo! Lembrando aquele texto do dramaturgo Alemão Bertolt Brecht, “o pior analfabeto é o político [...] é devido a sua ignorância política que surge a prostituta, o menor abandonado, a violência, o pior de todos os vigaristas, o político mesquinho, vigarista e salafrário”. Pois bem, os índices do IBGE apontam que há no Nosso Brasil 68% de Analfabetos funcionais, Juntando ao 7% que não sabem ler nem escrever, chegamos a um índice de 75%. Analisando o nosso ceará o índice é bem maior. 18% das pessoas não sabem ler nem escrever. Os países asiáticos foram os que tiveram um maior desenvolvimento nas últimas décadas. “O SEGREDO”: Investimento numa EDUCAÇÃO de QUALIDADE. Como diria também Epicteto; “Só a educação liberta.”
    Ao meu ver, duas coisas colaboram para um tipo de política mesquinha: A Pobreza e a desinformação. Terreno fértil para o fenômeno do surgimento de governos populistas que percebemos na história do nosso Brasil. Falamos da falta de uma boa educação, agora vamos falar de pobreza. A propósito, quando você afirma em seu texto; “Voltar a realidade promove frustrações quando percebem que projetos, ora em pauta, perdem o valor e dessa forma lá na sua comodidade se justifica na defesa do seu pão de cada dia”, lembro do que diz Karl Marx, “o reino da liberdade só começa, de fato, onde acaba o trabalho condicionado pela necessidade e pela conveniência exterior.” Na sociedade em que vivemos, a burguesia criou um sistema tão perverso, para se manter no poder, que apesar da força que as palavras têm, só falar, só escrever, não passa de falácias, de demagogias, etc. A coisa mais importante para quem tem forme é o alimento, absurdamente caro em nosso país!

  • Arajabu said:

    Cara, eu não desisto. E como sou chato, ainda monto séquitos que saem por aí, reverberando as sacanagens, atuando como menestréis, jogando luz na moleira das pessoas. Terrível como o povo não saca a realidade. Mas a gente muda isso, camarada.!!

  • adrovando said:

    Meu caro “Informativo” ,primeiro agradeço suas palavras carinhosas e incentivadoras,segundo gostaria que não se abater-se pois devemos endurecer, mas perder a ternura jamais , assim dizia CHE.Falo com muita convicção de que é preciso malhar o ferro continuamente, dessa forma tenho certeza de que os resultados surgirão.Obrigado mais uma vez pelo apóio, saiba que a sua participação é tão importante quanto a minha. precisamos incomodar e fique certo que eles estão pensando mais de uma vez ao tomar atitudes improprias.

  • adrovando said:

    Arajabu,ser chato nao é um previlegio seu, tenho certeza que sou muito mais, quem incomoda acaba fiando com essa tarja, porém, amigo, saiba que estamos fazendo o nosso papel e isso é muito importante pra nossa comunidade, sinto que estamos a cada dia fortalecendo essa corrente de chatos, somos esse elo que transforma, nao perca a esperança tem muita gente boa, so precisamos despertá-las.Obrigado.

  • adrovando said:

    OI Silvio, Obrigado, voce ta sendo muito generoso, presisamos de todos, Um mais um é sempre mais que dois, vamos a luta,mais uma vez obrigado pelos elogios.

  • Claudio Sousa said:

    É isso Adrovando, cada sociedade tem os administradores que merece, já li isso em algum texto por aí, somos levados sempre a criticar quem está no poder, a maioria das vezes com razão, mas pra fazer melhor do que eles precisamos está lá, porém ficar esperando um messias que irá nos libertar é a nossa desculpa pra não participar das mudanças que todos nos almejamos. Há mais de trinta anos temos eleições diretas no nosso pais, isto quer dizer que os que chamamos de corruptos estão pelo voto da maioria desta sociedade, que sejamos sinceros, não é tão honesta quanto se diz ser. E se nos achamos melhores, deveríamos nos organizar para estar lá no lugar deles e buscarmos o que merecemos ou, o que achamos que merecemos. A esperença é ultima que morre, mas morre

    Bom demais o cordel! Abraços

    Cláudio Sousa – Brasilia – DF

  • Ari Macedo Braga said:

    Macho, eu devo ser muito burro, pois tem trechos no teu texto que eu não consegui decifrar. Acho que é pq sou um jumento atrás de ti.

  • adrovando t. cavalcante said:

    pois é meu amigo Ari,talvez voce se espelhe na grandiosidade do jumento, principalmente quando as medidas nao são tão favoráveis, nao é?Vamos aceitar os nossos micros defeitos, fazem parte das diferenças.

  • Ari Macedo Braga said:

    Diabeisso meu cadedratico, num vamo baixar o nive não. Desse jeito tu perde meu voto.

  • Ari Macedo Braga said:

    Arreégua macho, comé q tu sabe que o meu é micro? Agora tu acabou de confessar teu microdefeito. Agora descobriu pq tu é um cara inteligente: pq tu ando acom um micro entre as pernas

FAZER UM COMENTÁRIO

Participe. Deixe seu comentário aqui