Folha Ubajarense » Câncer na mulher – quando os efeitos colaterais podem ser minimizados
Entrevistas e Homenagens

Confira as entrevistas concedidas ao Jornal Folha Ubajarense. Em breve a sessão Homenagem Póstuma estará disponível

Ibiapaba online

Notícias da Ibiapaba:Viçosa do Ceará, Tianguá, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Guaraciaba do Norte e Carnaubal

Polícia

O interior do Estado do Ceará não é mais o mesmo. Violência, criminalidade e acidentes no trânsito fazem parte da rotina

Ubajaridade

A essência de ser ubajarense permanece arraigada nos habitantes dessa cidade pacata e de clima agradável

ümor

Artigos, Crônicas, Piadas. Tudo aquilo que você não precisa saber para viver com dignidade e qualidade de vida está aqui

الرئيسة » Saúde

Câncer na mulher – quando os efeitos colaterais podem ser minimizados

أرسلت بواسطة Monique Gomes في terça-feira, 20 setembro 2011لا تعليقات

A medicina moderna conta com eficazes alternativas para reduzir as náuseas, vômitos, fraqueza e queda de cabelo.I 

O tratamento quimioterápico tem como objetivo destruir as células cancerosas, mas também acaba agindo nas células normais o que, frequentemente, provoca alguns efeitos colaterais como náuseas, vômitos, perda de apetite, febre, queda de cabelo, fraqueza e fadiga.I 

 Os sintomas e a intensidade variam conforme o paciente e também de acordo com os medicamentos utilizados, as doses administradas, a duração do tratamento e o organismo de cada paciente.  Em linhas gerais, há algumas dicas que ajudam a gerenciar melhor a fase da quimioterapia que devem ser adotadas em concordância com o médico (segue abaixo). I

Além das sugestões para que o paciente possa enfrentar melhor esta fase, a indústria farmacêutica dispõe de recursos que diminuem os efeitos colaterais, como é o caso da doxorrubicina lipossomal peguilada, por exemplo.I
 Tal fato é possível porque a  droga está presente dentro de pequenas partículas – os lipossomos – que, por sua vez, liberam a medicação bem mais próximo ao tumor.  I“Isso confere maior segurança ao paciente uma vez que a molécula não circula no organismo, diminuindo os efeitos colaterais como queda de cabelos e alterações da medula óssea”, comenta o oncologista Dr. Ricardo Caponero.I

Injetável, o medicamento é usado, entre outras indicações, para o tratamento de câncer metastático de mama e ovário. “A doxorrubicina lipossomal peguilada, ou comumente chamada de DLP, libera menos substâncias cardiotóxicas, por isso é importante em pacientes com histórico de problemas cardíacos”, conclui Dr. Caponero.I
 

A Zodiac Produtos Farmacêuticos, preocupada com os pacientes com câncer da rede pública, inovou ao se tornar a única empresa a adotar uma expressiva redução do  preço do DLP de sua fabricação (comercializado com o nome de Doxopeg®). A medida de adequação faz parte do Programa de Acesso Público ao Tratamento Oncológico (APTO), com a finalidade viabilizar o acesso a produtos de alta qualidade aos pacientes atendidos pelo SUS. O programa atende, até o momento, mais de 45 hospitais.I

Dicas do Dr. Caponero para o dia da quimioterapia que ajudam a minimizar os efeitos colaterais

Faça pequenas refeições ao longo do dia e evite beber líquido próximo às refeições, de forma a não distender o estômago.I 

Evite comidas gordurosas ou frituras. 

Mastigue lentamente os alimentos e repouse em posição sentada após as refeições. 

Beba suco de frutas gelado ao longo do dia. O gelado é melhor aceito em caso de náuseas. 

Evite bebidas gasosas. 

Alimente-se pelo menos uma hora antes do tratamento.I

Coma pequenas refeições frequentes durante o dia.

Evite ficar exposto a cheiros fortes (fumaça, perfumes, frituras etc.).I 

Vista roupas folgadas, evitando comprimir o abdômen.I 

Tome os medicamentos prescritos pelo seu médico em casa, principalmente se os sintomas persistirem.I 

Náuseas e vômitos devem sempre ser relatados para que se possa determinar ajuste das medicações às necessidades de cada paciente.I 

Em caso de febre (temperatura maior que 37,8º C), deve-se comunicar imediatamente a equipe médica.I  Da Assessoria de Imprensa RSPress

FAZER UM COMENTÁRIO

Participe. Deixe seu comentário aqui