Folha Ubajarense » Pesquisa revela que água sanitária mata em até 24 horas a larva da dengue
Entrevistas e Homenagens

Confira as entrevistas concedidas ao Jornal Folha Ubajarense. Em breve a sessão Homenagem Póstuma estará disponível

Ibiapaba online

Notícias da Ibiapaba:Viçosa do Ceará, Tianguá, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Guaraciaba do Norte e Carnaubal

Polícia

O interior do Estado do Ceará não é mais o mesmo. Violência, criminalidade e acidentes no trânsito fazem parte da rotina

Ubajaridade

A essência de ser ubajarense permanece arraigada nos habitantes dessa cidade pacata e de clima agradável

ümor

Artigos, Crônicas, Piadas. Tudo aquilo que você não precisa saber para viver com dignidade e qualidade de vida está aqui

الرئيسة » Saúde

Pesquisa revela que água sanitária mata em até 24 horas a larva da dengue

أرسلت بواسطة Monique Gomes في sábado, 24 setembro 2011لا تعليقات

Estudo encomendado pela Abiclor (Associação Brasileira das Indústrias de Álcalis, Cloro e Derivados), com objetivo de avaliar o efeito do cloro sobre as larvas do mosquito da dengue revelou que o uso de hipoclorito de sódio a 2,5% (derivado do cloro, conhecido popularmente como água sanitária) é 100% eficaz na eliminação de larvas do mosquito aedes aegypt, transmissor da dengue.I

O Ceará está a 27casos de bater o recorde histórico de dengue no Estado, de acordo com boletim divulgado na última sexta-feira (16) pela Secretaria de Saúde (Sesa-CE). Os dados do levantamento mostram que em 2011 foram registrados 47.763 casos em 175 municípios, sendo o segundo o ano com maior incidência da doença (em 1994, foram confirmados 47.789 casos).I

De acordo com os resultados da pesquisa da Abiclor, 10 ml de água sanitária em concentração de 2,5%, (comumente encontrada no mercado), adicionadas a cada litro de água tratada são suficientes para matar em até 24 horas a larva do mosquito. Conduzido pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), da Universidade de São Paulo (USP), o estudo mostra, ainda, que a mesma solução, aplicada nos focos de criação do mosquito, como vasos de plantas, mantém-se ativa por 20 dias. Isso é possível devido ao alto poder residual do cloro que permanece ativo, mantendo a desinfecção da água durante esse período.I

 Além de verificar caixas d’água, garrafas, pneus e todo local que venha a se transformar num eventual depósito de água, os pesquisadores alertam para os cuidados que a população deve ter com plantas e flores. Bromélias, por exemplo, tendem a acumular água entre suas folhas tornando-se potenciais focos para o mosquito depositar os seus ovos. Os riscos podem ser eliminados, no entanto, utilizando-se a água sanitária diluída à água usada para regar as plantas. A proporção é a mesma: 10 ml para cada litro de água. Seguindo essas recomendações, os pesquisadores garantem que a mistura não fará mal às plantas e evitará o desenvolvimento da dengue. Da Assessoria de Imprensa.I

FAZER UM COMENTÁRIO

Participe. Deixe seu comentário aqui