Folha Ubajarense » Maria Mesquita, UBAJARENSE QUE FAZ
Entrevistas e Homenagens

Confira as entrevistas concedidas ao Jornal Folha Ubajarense. Em breve a sessão Homenagem Póstuma estará disponível

Ibiapaba online

Notícias da Ibiapaba:Viçosa do Ceará, Tianguá, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Guaraciaba do Norte e Carnaubal

Polícia

O interior do Estado do Ceará não é mais o mesmo. Violência, criminalidade e acidentes no trânsito fazem parte da rotina

Ubajaridade

A essência de ser ubajarense permanece arraigada nos habitantes dessa cidade pacata e de clima agradável

ümor

Artigos, Crônicas, Piadas. Tudo aquilo que você não precisa saber para viver com dignidade e qualidade de vida está aqui

الرئيسة » Ubajarense que faz

Maria Mesquita, UBAJARENSE QUE FAZ

أرسلت بواسطة Monique Gomes في domingo, 23 outubro 20117 تعليقات

O Jornal Folha Ubajarense publicará uma série de reportagens sobre a história de ubajarenses que tiveram que abandonar sua terra natal em busca de melhoria na qualidade de vida. Mande sua história para o e-mail folhaubajarense@yahoo.com.br I

Maria Mesquita, a Lourdes

Seu nome é Maria Mesquita Pereira, mas a família a chama de Nenzinha e os amigos a conhecem como Lourdes – para diferenciar de sua irmã homônima. Filha de Antônio Mesquita Pereira e Francisca Rodrigues da Silva, nasceu no Sítio Tucuns, próximo ao Jaburu.  O pai, viúvo de Joana Rodrigues da Silva, se casou com Francisca e assim educaram 9 crianças: José ( falecido ), Maria, residente em Santo Amaro-SP, Apolônio,Valdívia, e Manoel Messias que moram em Ubajara, Neci, Anasion e Moacir, que há mais de 40 anos está desaparecido. A avó Raimunda Rodrigues da Silva também ajudava na educação das crianças.I

A infância foi difícil, sempre com muitas responsabilidades. De manhã a família tomava café com farinha e seguia para o roçado, trabalhar na farinhada, na beira do rio aguando as plantas. A água e outros recursos eram muito escassos. Não havia projetos sociais do governo como hoje. A agricultura era resumida com a produção de milho, feijão e mandioca. O plantio era feito no inverno para aproveitar a água da chuva. Não havia comércio no Sítio Tucuns para suprir as necessidades dos moradores. Quando precisava de suprimentos a comunidade se deslocava à pé até o Sítio Pitanga.I

Dona Francisca

I“Fui embora de Ubajara em abril de 1979. Andei duas léguas a pé. Depois peguei um ônibus com destino a Fortaleza e outro para São Paulo. Viajei por três dias. Fui trabalhar em casa de família. Chorei todos os dias durante um ano”, conta Lourdes, ressaltando que no mesmo ano participou da inauguração do Teleférico de Ubajara, com a presença do ex-Presidente da República, Ernesto Beckmann Geisel. “Recitei um poema naquele dia: ‘se perguntardes filho onde a terra do teu amor, cheio de orgulho responde: Sou brasileiro, senhor. Não digas sou sergipano, sou paulista, ou sou mineiro. Pois serás mais soberano dizendo: SOU BRASILEIRO!’”, lembra Lourdes.I

.

Francelino, Letícia e Lourdes

Valdívia, irmã de Lourdes, conta que os irmãos não frequentavam escola. O pai, às vezes, dava aulas em casa, mas ela mesma aprendeu a ler quando veio morar na cidade. Estudou na Escola Waldemar Alcântara e concluiu os níveis fundamental e médio na fase adulta. Uma curiosidade que Valdívia conta é que o Bairro Monte Castelo era muito conhecido pela desavença e briga entre os vizinhos. A fama era tanta que a população batizou o bairro de “Monte Tabefe”.I

.

Fernando e Letícia

Lourdes trabalhou como doméstica, em seguida em um orfanato. Lá, conheceu Francelino Agobiti e dessa união nasceu Letícia,17 anos. Com seu filho mais velho, Fernando, 26, eles formaram uma família.I

Hoje, apesar de não ter concluído os estudos, Lourdes soube enfrentar os desafios da vida e buscar oportunidades. Trabalha na Câmara Municipal de São Caetano do Sul como Assessora do Vereador Jorge Martins Salgado, Presidente da APAE e Coordenador Regional das APAES do Estado de São Paulo.I

Há mais de 25 anos sem visitar Ubajara, voltou a pisar na terra natal em 2008. O sonho dela? Voltar a morar em Ubajara. Reportagem de Monique Gomes para o Jornal Folha Ubajarense.I

7 تعليقات »

  • Neci said:

    Sou irmã de Lourdes, moro no estado de São Paulo mas sempre visito o site da Folha Ubajarense e gostei muito dessa reportagem.
    Abraço para Monique, autora da reportagem..

  • Monique Gomes (author) said:

    Oi, Neci! A sugestão de pauta foi da Lourdes, aí eu achei por bem começar pela história dela. O que você acha de publicar a sua história também? Escreva para folhaubajarense@yahoo.com.br

  • Monique Gomes (author) said:

    Lourdes, adorei trocar e-mails com você e conhecer a sua história. Fiquei muito impressionada que apesar de não ter concluído os estudos você conquistou sua vida profissional e hoje vive muito bem com sua família. Sua mãe é muito fofa e a Valdívia muito simpática, me recebeu muito bem. Parabéns e obrigada pela paciência

  • anazion da silva pereira said:

    olá, sou irmão da lurdes gostei muito da matéria parabéns, fiquei até emocionado abraços.anazion

  • Monique Gomes (author) said:

    Olha aí a família da Lourdes dando o ar da graça. Felicidades, Nazion

  • apoliana sampaio said:

    É por essas e outras estórias que me orgulho de ser UBAJARENSE.

  • Flavio said:

    AI SIMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM PARABENS A ESSA FAMILIA

FAZER UM COMENTÁRIO

Participe. Deixe seu comentário aqui