Folha Ubajarense » Pesquisa mostra desconhecimento da população sobre o diabetes
Entrevistas e Homenagens

Confira as entrevistas concedidas ao Jornal Folha Ubajarense. Em breve a sessão Homenagem Póstuma estará disponível

Ibiapaba online

Notícias da Ibiapaba:Viçosa do Ceará, Tianguá, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Guaraciaba do Norte e Carnaubal

Polícia

O interior do Estado do Ceará não é mais o mesmo. Violência, criminalidade e acidentes no trânsito fazem parte da rotina

Ubajaridade

A essência de ser ubajarense permanece arraigada nos habitantes dessa cidade pacata e de clima agradável

ümor

Artigos, Crônicas, Piadas. Tudo aquilo que você não precisa saber para viver com dignidade e qualidade de vida está aqui

الرئيسة » Saúde

Pesquisa mostra desconhecimento da população sobre o diabetes

أرسلت بواسطة Monique Gomes في quinta-feira, 10 novembro 2011لا تعليقات

A doença é uma das que mais avança sobre a população mundial, mas sua prevenção e tratamento ainda geram muitas dúvidas e incertezas na população em geral: menos da metade dos entrevistados souberam dizer o que é diabetes.I

 Um levantamento inédito realizado pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), com apoio da Bayer HealthCare, e participação de mais de 2.000 pessoas confirma: a população ainda tem dúvidas sobre o que é o diabetes e como a doença pode ser controlada. De acordo com a pesquisa, 38% dos entrevistados acreditam que o diabetes tem cura e menos da metade dos entrevistados (49%) soube defini-la. E mais: apenas 50% dos participantes afirmaram que um diabético pode levar uma vida normal.I

 No entanto, é importante que todos saibam como prevenir essa que é uma das doenças crônicas que mais avança entre a população mundial. Dados da Federação Internacional do Diabetes estimam que hoje existam cerca de 250 milhões de pessoas com a doença em todo o mundo e esse número deve chegar a 380 milhões em 2025.  Somente no Brasil, estima-se que cerca de 11 milhões de pessoas tenham diabetes atualmente. “O aumento de casos de diabetes, especialmente do tipo 2 em países em desenvolvimento, decorre de alguns fatores como aumento da obesidade, do sedentarismo, dos maus hábitos alimentares e do próprio envelhecimento da população”, explica o Dr. Walter Minicucci, vice-presidente da SBD e médico assistente da Disciplina de Endocrinologia da Unicamp.I

 Entre os principais dados trazidos pelo levantamento ainda estão:I

  • 69% dos participantes demonstraram conhecimento sobre os fatores de risco para o diabetes
  • 63% das pessoas disseram que conhecem alguém com diabetes e, entre os que conhecem um diabético, 49% disse que essa pessoa é membro de sua família
  • 51% dos entrevistados não sabiam diferenciar os tipos da doença: tipo 1, tipo 2 e diabetes gestacional
  • 85% desconhecem ou subestimam o número de diabéticos no Brasil, sendo que 61% dos participantes acredita que existem cerca de 2 milhões de pessoas com diabetes no País

De acordo com o Dr. Minicucci, é fundamental que as pessoas sejam mais informadas sobre como prevenir e tratar o diabetes. Quando não controlada adequadamente, a doença pode acarretar complicações graves como retinopatia diabética – que pode causar perda visual definitiva –, catarata precoce, alteração da função renal que pode levar o paciente para a hemodiálise, alterações neurológicas que podem ocasionar dores em membros inferiores e atrofias musculares e complicações cardiovasculares (infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral – AVC). “Mas também é preciso lembrar que nada disto ocorrerá se o tratamento for efetivo e contínuo”, reforça o especialista.I

I“Uma rotina de atividades físicas deve ser incorporada por quem quer prevenir a doença e faz parte do tratamento dos pacientes com diabetes”, conta Dr. Walter Minicucci. A prática de exercícios físicos é importante, pois colabora para a redução dos níveis de glicemia no sangue e melhora a ação da insulina. Além disso, ajuda a manter um peso adequado.I

Para o endocrinologista, a obesidade é uma das grandes vilãs quando o assunto é diabetes: “as pessoas com excesso de gordura no corpo, principalmente aquela concentrada na região abdominal, precisam emagrecer para diminuir os riscos de desenvolver o diabetes tipo 2”, explica o médico. “Para os homens, o ideal é manter a medida da cintura abaixo dos 102 cm, já para as mulheres, o melhor é a medida abaixo dos 88 cm”, afirma o Dr. Minicucci.I

Sobre a divisão de Diabetes Care

A divisão de Diabetes Care, da Bayer HealthCare, está presente em 100 países e tem longa tradição de mais de 65 anos em inovação na área de cuidados com o diabetes desde o lançamento dos tabletes reagentes CLINITEST, em 1941. Os rumos dos cuidados com o diabetes mudaram em 1969, quando o primeiro monitor de glicemia portátil e as tiras reagentes surgiram. A Bayer HealthCare inovou o gerenciamento do diabetes sendo a primeira empresa a lançar uma linha de monitores de glicemia com a tecnologia No CodingTM (Já Codificado), ou seja, o paciente não precisa mudar o código do aparelho a cada lote de tiras utilizado, reduzindo assim o risco de erro nas leituras de glicemia. Os sistemas de monitoramento de glicemia BREEZE® 2 e CONTOUR TS® são uma excelente opção para os diabéticos. A partir de 2011, o mercado brasileiro também passou a contar com o A1CNOW®, o primeiro monitor portátil para a realização de testes de hemoglobina glicada, com resultados em menos de cinco minutos no consultório do médico.I

Informações à imprensa

Burson-Marsteller

Regina Ielpo /  Renata Mesquita / Fabiana Delgado / Alberto Madjer / Renata Faila

Tel: (11) 3094-2245 / 3094-2253 / 3094-2242 / 3040-2412 / 3040-2396

FAZER UM COMENTÁRIO

Participe. Deixe seu comentário aqui