Folha Ubajarense » Ninguém merece a Barbie Winehouse, por Monique Gomes
Entrevistas e Homenagens

Confira as entrevistas concedidas ao Jornal Folha Ubajarense. Em breve a sessão Homenagem Póstuma estará disponível

Ibiapaba online

Notícias da Ibiapaba:Viçosa do Ceará, Tianguá, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Guaraciaba do Norte e Carnaubal

Polícia

O interior do Estado do Ceará não é mais o mesmo. Violência, criminalidade e acidentes no trânsito fazem parte da rotina

Ubajaridade

A essência de ser ubajarense permanece arraigada nos habitantes dessa cidade pacata e de clima agradável

ümor

Artigos, Crônicas, Piadas. Tudo aquilo que você não precisa saber para viver com dignidade e qualidade de vida está aqui

الرئيسة » Opinião

Ninguém merece a Barbie Winehouse, por Monique Gomes

أرسلت بواسطة Monique Gomes في quinta-feira, 19 novembro 20098 تعليقات

boneca_amyAmy Winehouse. Tudo o que ela faz é notícia. Recentemente foi internada por conta de um vazamento na prótese de silicone que tem nos seios. Nada mal, para uma pessoa que tem sempre um pé nas clínicas por causa de overdose de drogas.I

A mais nova realização de Amy é a criação de uma boneca igualzinha a ela, fidelidade explícita nas 13 tatuagens espalhadas pelo corpinho da boneca.I

É fato que cada um de nós tem liberdade para fazer o que quer com o próprio corpo, mas raciocine comigo. Quem são os consumidores que vão adquirir a boneca?I

Você pode adorar as músicas da Amy Winehouse, mas vamos separar as coisas. Você compraria uma boneca para a sua filha brincar, trocar a roupinha e tudo mais, uma boneca que é a réplica de uma “personagem” do nosso mundo real como a inconsequente Amy? Que valores temos que passar para nossos filhos? Que usar drogas, beber feito uma esponja e tatuar o corpo todo são as coisas mais legais do mundo?I

Comprar a Barbie Winehouse é a maneira mais eficiente de você dizer para sua filhinha que ela deve ser anoréxica e depravada. Observe que as Barbies da vida têm evoluído de acordo com o mundo contemporâneo. Antigamente a produção dessa boneca se limitava apenas em donas de casa em série: só dava pra brincar com um fogãozinho do lado (eu mesma brinquei muito, mas hoje quero distância de fogão). Hoje temos Barbies com formação acadêmica em vários segmentos, só faltava mesmo uma viciada que passa a maior parte do tempo internada em consequencia de overdose.I

A missão de educar está cada dia mais difícil. Longe de ser uma extremista conservadora, mas o mundo está cheio de lixo, cheio de falsos ídolos. Precisamos separar o que é bom do que é inútil, oferecer ensino de qualidade a nossos filhos para que eles tenham o mínimo de consciência crítica para pensar por si mesmos e não seguir o pensamento da manada.I

I

moniqueNinguém merece a Barbie Winehouse, por Monique Gomes, formada em Gestão de Negócios em Turismo e Hotelaria pela UVA, estudante de Letras pela UFPB, Repórter Fotográfica, Redatora, Editora do Site Folha Ubajarense e fã das músicas da Amy Winehouse…I

8 تعليقات »

  • Vinicius Bilhar said:

    Uma opinião no mínimo inconsequente e mal feita, pois um pai ou mãe que compra a boneca para a filha não compra as ações negativas e sim as positivas, pois como poucas a winehouse foi um mito da música que marcou era, ninguém daria a filha um presente por defeitos de personalidade. Pois, do contrário ao comprar uma barbie comum, tipo princesinha, ao inves de darmos a ideia de beleza e amor que os pais buscam nessa compra,estaria transmitindo futilidade e ignorancia, pois a boneca nada mais seria que uma menininha mimida que por se achar bela, tera um homem com dinheiro e fama que vai ama-la e dar tudo pra ela apenas por ser bonita, e sem esquecer, futil e burra

  • Ramon Araújo said:

    Amy Winehouse! Infelizmente perdemos uma das maiores cantoras inglesas, que com sua voz marcante inovou o jazz. Cara Monique é fato os contratempos de sua vida. Infelizmente pela má influência que o seu ex-marido Black Civil lhe deu expondo-a as drogas e ao álcool. Agora venhamos considerar que sua obra é bela, sua voz marcante, exposição de sentimentos nas letras de suas músicas, por que não comparar com Janis Joplin que também morreu aos 27 anos por conseqüências das drogas e álcool, as duas possuíam algo em comum podemos citar talento nato, e por ironia do destino morreram com a mesma idade. Ah! É fácil criticar uma pessoa que afundou sua vida por conseqüência de drogas ilícitas, seria mais honesto e até mesmo mais humano, expor opiniões e alertar o mal que as drogas trazem para a vida das pessoas, Amy Winehouse era dependente química, atualmente considerada uma doença que precisa de tratamento, de apoio e respeito. É caríssima, essa sua critica infelizmente foi mal feita, infantil e fútil quanto se trata de uma coisa muito séria, a dependência química. Seria mais inteligente redigir um texto apoiando as inúmeras famílias que passam por problemas parecidos, seria mais viável alertar as pessoas para não entrarem nessa vida desregrada. Retirando a dependência química que Amy tinha, ela sim, foi a MAIOR CANTORA DA ÚLTIMA DÉCADA, é com grande pesar que perdemos Amy, mais sua obra jamais morrerá. Enfim, falar de Amy sempre foi fácil por partes de muitos, agora apreciar sua obra querida são para aquelas pessoas que gostam de uma excelente música que não são muitas, inclusive aqui nessa terrinha. Bonecas por Bonecas são todas iguais só mudam o vestidinho, a cor do cabelo e o nome. VIVA AMY, VIVA FRANK, VIVA BACK TO BLACK

  • Ramon Araújo said:

    Vejo que você não recebe bem as criticas… Deletar os comentários dos internautas que visitam sua página do Folha Ubajarense, é no minimo uma falta de respeito, Ah sim! Só uma dica! receba as criticas da mesma maneira que você faz. Vamos ser Democráticos e não se acovardar com as diversas opniões.

    Passar bem!

  • Monique Gomes (author) said:

    Ramon: não deletei a sua mensagem. A publicação dos comentários só é concretizada quando eu entro no sistema do site. Seu comentário foi publicado hoje quando entrei no sistema. Não preciso deletar comentários negativos porque em nenhum momento eles me afetam. O artigo sobre a Amy eu fiz há bastante tempo e agora com a morte dela muitos visitantes localizam o artigo e me detonam. Eu não tenho raiva disso, eu acho é engraçado. Cada um pensa de um jeito. Eu mostrei a visão de mãe, você jamais vai ser capaz de ter uma visão materna desse fato, por isso eu respeito a sua opinião e você deveria respeitar a minha. Eu adoro e ainda ouço as músicas da Amy, falei do comportamento, da fraqueza do ser humano e da má influência da boneca, da banalização do uso de drogas, enfim.

  • Ramon Araújo said:

    Cara Monique, meu comentário não foi de caráter negativo, também não me atingiria se sua critica fosse bem mais elaborada e construtiva. Enfim, não preciso ser mãe, afinal será impossível. Mais tenho consciência do sentimento materno e principalmente paterno. Não vejo nada de engraçado quando de trata de pessoas doentes e que precisam de ajuda. Cara Monique é como lhe disse anteriormente “boneca Bonecas por Bonecas são todas iguais só mudam o vestidinho, a cor do cabelo e o nome”. Que influência esses pedaços de plástico poderão afetar no desenvolvimento das crianças, elas curtem o brinquedo ali por 02 ou 03 dias e pronto depois esquecem. Eu Respeito a sua opinião sim, eu apenas coloquei minha opinião de achar que seu texto foi de mau gosto.

  • Monique Gomes (author) said:

    Quando alguém escreve um artigo de opinião – o próprio nome já diz, é opinião.Não existe imposição para que outros pensem o mesmo.

  • Ramon Araújo said:

    Verdade Querida, opinião é opinião, existe gosto para todos embora alguns sejam considerados bons ou ruins

  • Monique Gomes (author) said:

    Isso mesmo, depende muito da cabeça de cada um. Tem pessoas que tem o pensamento medíocre e pensarão de um jeito, tem outras que tem um pensamento mais dinâmico, portanto tem um olhar mais abrangente dos acontecimentos que provocam a reflexão, como a arte, a música, um texto, um livro, uma ideia. Que o diga os participantes da Semana de Arte Moderna, em 1922.

FAZER UM COMENTÁRIO

Participe. Deixe seu comentário aqui