Folha Ubajarense » Dona Raimundinha, 84 anos de história
Entrevistas e Homenagens

Confira as entrevistas concedidas ao Jornal Folha Ubajarense. Em breve a sessão Homenagem Póstuma estará disponível

Ibiapaba online

Notícias da Ibiapaba:Viçosa do Ceará, Tianguá, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Guaraciaba do Norte e Carnaubal

Polícia

O interior do Estado do Ceará não é mais o mesmo. Violência, criminalidade e acidentes no trânsito fazem parte da rotina

Ubajaridade

A essência de ser ubajarense permanece arraigada nos habitantes dessa cidade pacata e de clima agradável

ümor

Artigos, Crônicas, Piadas. Tudo aquilo que você não precisa saber para viver com dignidade e qualidade de vida está aqui

الرئيسة » Ubajaridade

Dona Raimundinha, 84 anos de história

أرسلت بواسطة Monique Gomes في quarta-feira, 2 dezembro 200910 تعليقات

donaraimundinha
 Em 1925, precisamente no dia 02 de dezembro, há exatamente 84 anos, nascia Raimunda Nepomuceno Craveiro, a Dona Raimundinha, como muitos conhecem.I

 Desde pequena muito católica, acordava de madrugada para ir a missa do Padre Monsenhor Melo, desde os 7 anos de idade.I

 Aos 22 anos, já dona de uma fábrica de redes que contava com três funcionárias,  visitou Ubajara por conta dos festejos de São Francisco e foi assim que conheceu e contraiu matrimônio com o ubajarense Antônio Cândido Craveiro. “Meu sonho mesmo era ser freira, mas esse homem me aperriou tanto pra casar que eu acabei casando…”, conta.I

 Dessa união, Dona Raimundinha cuidou de 5 enteados: Fransquinha Craveiro, José Craveiro, Maria Craveiro, Edmundo Craveiro e Eneida Craveiro. Teve 3 filhos: Aroldo, Arnóbio e Jucileide, esta residente na Itália. Os netos Igor, Thalys, Yales, Yannes, Marles, Flávio, Saulo, Marne, e seis bisnetos somam os frutos dessa união.I

 O passeio mais inesquecível que ficou marcado na memória de Dona Raimundinha foi a visita ao Santuário Santo Antônio de Pádua, na Itália, mas ela afirma que “tudo é muito bonito na Suíça e na Veneza”.I

 Moradora do Bairro Monte Castelo, nos arredores da Igreja São Francisco, é muito comum ver Dona Raimundinha batendo um papo com amigos ou familiares na calçada de casa. Ali sempre tem guarida, um pedaço de bolo ou um cafezinho pra acompanhar as conversas no fim de tarde.I

10 تعليقات »

  • Yannes said:

    A Vovó (como nós a chamamos) é um grande exemplo de luta e persistência. Uma mulher vitoriosa, que nunca mediu esforços para educar seus filhos , netos e bisnetos da maneira mais correta. Obrigada Monique por esta homenagem tão especial à nossa vozinha.

  • Maria Jucileide Craveiro said:

    Que maravilhosa surpresa ver minha maezinha no meu jornal preferido.Meu coração esta cheio de gratidão.Obrigado Monique, você faz feliz muita gente. Desejo a todos boas festas e um esplêndido ano novo. Maria jucileide Craveiro

  • Flavio said:

    Um abraco bem grande na Vovo…Linda

  • MARLIS said:

    Hoje sobe que a vovò nao esteve bem e tave medo que morresse… rezo para que isso nao acontecce porque tenho muita vontade de abraçar minha vò ainda uma vez! vovò te amo muito. marlis

  • Alexandre said:

    Testemunhar a vida de Dona Raimundinha é sem dúvida lembrar uma vida marcada pela amizade, pelo carinho dos amigos e pela fé única que essa pessoa tão nobre possui. Acredito ter herdado de São Francisco a “santa humildade”, isto reflete em seu jeito simples e cativador, ao lado das pessoas que a circundam com amor e afeição. Embora sua saúde esteja fragilizada é enobrecedor perceber o sentido exato que Dona Raimundinha Craveiro direcionou sua vida: Para Deus, para a família e para os amigos.Rogamos ao nosso bom Deus que lhe conceda a saúde necessária paracontinuar sua missão de testemunhar tantos valores que nossa sociedade esqueceu.Abraços a Dona Raimundinha.
    Alexandre

  • Mayara said:

    Falar da dona Raimundinha é como falar da minha avó:um exemplo de cidadã.Uma mãe , uma avó muito dedicada.Uma pessoa muito divertida.Uma pessoa coberta de boas qualidades.
    Um grande abraço para você.Felçiz dia das Mães.

  • José Maria Fernandes said:

    Monique,
    Vocé, mais uma vez, acerta em cheio, e dá mostras do seu espírito fraternal, ao dar destaque à senhora Raimundinha Craveiro. Eu sou mais uma das pessoas que a admiram muito, pelo seu exemplo dado como mãe, esposa e amiga de todos os que a conhecem. Sou amigo de toda a família, tendo sido professor dos seus três filhos, todos herdeiros da sua correção e espírito bondoso. Aproveito o espaço para testemunhar o meu apreço por essa grande figura humana, que tenho como sempre presente no meu coração.

    José MAria fernandes

  • Monique Gomes (author) said:

    Caro José Maria Fernandes, fico grata com suas palavras e concordo quando se refere a dona raimundinha, é um doce de pessoa, mesmo. Essa matéria foi sugestão de pauta da minha mãe: “nique, a dona raimundinha vai fazer 80 anos, vai lá, faz uma matéria com ela”… Anotei na minha agenda e no dia certo eu estava lá. Aproveito a oportunidade pra agradecer a todos os leitores que estão parabenizando o meu trabalho aqui no Jornal, vocês são excelentes motivadores, eu agradeço de coração

  • luciana said:

    todo ano nos ia pra pousada da dona raimundinha nos ficava hospedada no hotel dai

  • FANCISCA said:

    MINHA SEGUNDA MÂE,TODA MINHA FORMAÇÃO DEVO A ESTA MULHER INCRIVEL QUE É MINHA TIA QUERIDA,MOREI COM ELA TODA MINHA ADOLESCÊNCIA,E SE SOU UMA NULHER FORTE HOJE DEVO ISSO A ELA,HOJE SEM QUERER ACHEI ESSA REPOTAGEM,QUANTA SAUDADE MINHA QUERIDA,PEÇO TODOS OS DIAS PELE SUA SAUDE.TE AMO MUITO TIA

FAZER UM COMENTÁRIO

Participe. Deixe seu comentário aqui